Lula - sem luta a classe trabalhadora não consegue nada

247 – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou nesta terça-feira, 4, do 2º Congresso da IndustriALL Global Union, com o tema "A Luta Continua". Em seu discurso, Lula lembrou dos avanços sociais do Brasil durante os últimos 13 anos de governos do PT. "Por isso que eu acho que a fome pode ser debelada, na Ásia, na África, na América Latina, como foi debelada aqui no Brasil, reconhecido pela ONU", afirmou.

"Estamos vivendo hoje uma situação em que o pobre no mundo tem que entrar em cena outra vez. Em disse na reunião do G20, em abril de 2009, que se o mundo quisesse sair da crise do subprime, da quebra do Lemann Brothers, era preciso coragem para incluir os pobres do mundo. Onde os pobres foram incluídos no Orçamento, deu certo", disse o ex-presidente.

"Toda vez que um governante falar em corte dos gastos públicos, significa falar em corte nas obras de infraestrutura, em desemprego, em cair os salários dos trabalhadores", afirmou. Lula também fez críticas ao que chamou de "precarização do trabalho" e falou sobre os avanços da indústria naval brasileira. "Criamos 82 mil postos de trabalho na indústria naval brasileira. E eles agora estão destruindo. Já destruíram 40 mil", disse o ex-presidente, em referência aos estragos causados pela operação Lava Jato na indústria naval.

Lula pediu aos trabalhadores brasileiros que impeçam a aprovação no Congresso na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que limita gastos públicos. "Sem luta, a classe trabalhadora não conquista nada, no Brasil e em nenhum lugar do mundo", afirmou.

O ex-presidente Lula também falou sobre a ex-presidente Dilma Rousseff. "Uma mulher, eleita para o seu segundo mandato, não conseguiu governar este país, porque a direita conservadora, a mesma que está aí ganhando as eleições na Europa, que é contra a emigração, aqui no Brasil chegaram à conclusão que não podiam deixar esta governando este país, e fizeram um golpe parlamentar que você já sabem como foi", disse Lula. 

Apesar da crise no País, Lula se mostrou confiante sobre as possibilidades para os trabalhadores. "É possível construir uma nova pauta para os trabalhadores. É necessário. (...) Mas o Estado tem que funcionar como o indutor do crescimento econômico. Não há possibilidade de qualquer país do mundo crescer, se o Estado não tiver competência de alavancar", afirmou. 

"Se os trabalhadores forem convidados para participar das decisões, poderemos ter soluções muito mais eficazes do que muitos economistas com vários diplomas", disse Lula. 

A IndustriALL é uma organização sindical internacional fundada em 2012 e que congrega trabalhadores metalúrgicos, químicos e têxteis de todo o mundo, representando aproximadamente 50 milhões de pessoas.

Postar um comentário

***