O efebeapa da corrupção que assola o país

Um resumo parcial da situação dramática do nosso país.
“Um prefeito de uma grande capital quer que Temer vá pra puta que pariu! O cara é de BH...
Um procurador renomado, ex-ministro da Justiça, diz que Moro não passa de um chicaneiro.
O maior jornalista vivo de São Paulo diz que Moro "passou de argumento a insulto, que a rigor assim era desde o início", e que Moro "insulta uma das partes, infringe a imparcialidade. e se mostra parte também".
Uma TV Aberta escancara 15 minutos no seu programa da maior audiência no domingo à noite e diz que a emissora concorrente integra uma quadrilha com J. Hawilla, Teixeira, Conmebol e Fifa.
Aécio Neves, em seu território de estimação, o Leblon, é enxovalhado neste bairro que o adotou, é xingado por uma pessoa que votou nele e agora grita diante dele que ele não passa de um ladrão corrupto.
Um Delcídio é grampeado como falastrão dizendo que vai pegar uns votos no Supremo pra depois de um habeas corpus arrumar um avião pro amigo Cerveró fugir pra Espanha, e o senador é preso sem flagrante pelo Supremo que ele denunciou no grampo.
Um senador telefona para um ministro do Supremo Tribunal Federal e, sem a menor cerimônia, usa o pronome "você" e passa a dar orientações, que o juiz telefone para fulano X e o convença a votar de modo Y. E o magistrado, prontamente, responde:: Sim, sim, vou ligar agora mesmo. Deixa comigo."
"Temer em sua primeira viagem à ONU diz a velhos empresários americanos em NY que Dilma caiu porque não aderiu à Ponte para o Futuro, que o impeachment foi apenas isso. E meses depois, Temer, na TV Bandeirantes, deixa escapar que Dilma caiu porque não apoiou Eduardo cunha diante das provas cabais vindas da Suíça mostrando que o presidente da Câmara não passava de um achacador contumaz, um ladrão muito especial."
"A propósito, um grande empresário, vendo a maluquice de Curitiba contra a engenharia pesada, antecipou-se a sua prisão iminente e costurou acordos em Washington e Brasília. Grampeou Temer e depois no MPF disse que Temer, Cunha, Jucá, Padilha, Geddel, Alves e Moreira integram a quadrilha mais perigosa do Brasil, disse que quem deste bando não está dentro do Palácio do Planalto está nas ruas seguindo o mesmo padrão, de roubalheira. Joesley explicou que essa quadrilha há anos age assim: todo dia eles folheiam o DOU e os diários oficiais dos 27 Estados, vasculhando tudo o que é investimento privado e público para, na sequência, abordar empresários, parlamentares e governantes a fim de armar a extorsão. A quadrilha tem governança, dinâmica, padrão de qualidade, é um trabalho diuturno, vai do Arroio ao Rio Chuí....
Sérgio Machado, que era parlamentar tucano no tempo de FHC, bandeou-se para o PMDB e ficou 12 anos na Transpetro. E antes que fosse preso, produziu provas qual Joesley: Mostrou Renan, Sarney e Jucá dizendo que iam derrubar Dilma com a ajuda do Supremo e que iam estancar a sangria. Machado ficou de devolver 70 milhões de reais ao Erário. Informou que deu 32 milhões de reais a Renan, informou que nos bons tempos dava 300 mil reais por mês para Padilha, 300 mil para Eunício, 300 mil por mês para Lobão, 300 mil por mês para Jucá, Caju e o cacete a quatro.
Se Joaquim Barbosa abriu firma offshore e conta offshore no Caribe por que outros agraciados não poderiam abrir também?"

Por Alfredo Herkenhoff