Pular para o conteúdo principal

Caixa postal, por Leônia Teixeira

Mudo...
Caixa postal...
Cai uma lágrima
Escorre, machuca, dói
Tento de novo, em vão
Nó na garganta sufoca, aperta o peito
Grito comigo, prometo apagar lembranças
Juro te arrancar dos olhos, te jogar longe, te extipar das veias
Juro te excluir dos meus sonhos, te expulsar da alma e do coração
Leônia Teixeira


Leia também: Quando

Comentários