Pular para o conteúdo principal

O que tenho a dizer sobre o assassinado de Ágatha e demais inocentes

Doer, dói sempre. Só não dói depois de morto. Porque a vida é todo um doer. E eu sou do tipo de gente que se dói inteira por mim, pelos meus e pelos outros porque não vivo na superfície da existência.

Rachel de Queiros

Sinto por Ághata e demais inocentes assassinados no Rio de Janeiro. Deus me livre de acontecer isso com um ente meu. Com certeza eu iria chorar muito. Mas, podem ter certeza que o criminoso Witzel pagaria pelo crime com sangue e lágrimas. 

Comentários

Anônimo disse…
Pergunta para os familiares do Brizola, quando é que essa situação no Rio de Janeiro começou? Pena que Neuzinha não esta aqui para responder!