Quadrilha de Curitiba tenta legalizar propina de 10%





Curitiba - Carlos Fernando Lima, procurador que participa da força-tarefa da lava jato no Paraná, pretende "legalizar" um fundo com recursos recuperados na operação sob o controle do togado Sérgio Fernando Moro.

"Estamos levantando os valores e preparando encaminhamento do destino do dinheiro. A ideia é que o juiz determine o destino de 90% dos valores para as vítimas e os outros 10% fiquem depositados na conta até a regulamentação de como essa aplicação dos recursos seria feita."

Os morojás de Curitiba querem institucionalizar a propina em 10%.
***
Acho que Aécio Neves (Psdb) vai recorrer a Gilmar Mendes (STF) para receber o mesmo percentual, já que dizem cobrava apenas 3%.
***
Curioso que sou pergunto:
Eles já prestaram conta do que foi devolvido ou isso também não vem ao caso?