Mais uma notícia para série: Eu acho é pouco

Navio Sérgio Buarque de Hollanda, terceira embarcação do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef)

Jornal GGN - Subsidiária de logística da Petrobras, a Transpetro cancelou a contratação de 17 navios que estavam dentro do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef). “Estavam contratados, mas nós decidimos rescindir os contratos”, afirmou o presidente da Transpetro, Antonio Silvino.

Silvino diz que o objetivo é tornar a empresa mais competitiva. “Estamos em processo acelerado de otimização de custos e de gestão”, afirmou.

O Promef começa no governo Lula e com o intuito de recuperar a indústria naval, além de colaborar para a geração de emprego e renda no país. No total, estavam previstos 46 navios, sendo que 17 foram entregues, outros 17 - que ainda não tiveram suas obras iniciadas - foram cancelados e 9 que estão em construção.

 

Silvino afirmou ainda que outras três embarcações poderão ser canceladas. Estes navios estão em construção no estaleiro Eisa Petro-1, no Rio de Janeiro, que está com dificuldades financeiras e pediu recuperação judicial.

O presidente da Transpetro também ressaltou que o cancelamento dos pedidos não resultará em redução de capacidade operacional. O executivo disse que o plano é fretar navios para atender a demanda da Petrobras.

Silvino também afirmou que a Transpetro tentará se tornar mais competitiva para atrair novos clientes além da Petrobras, principalmente em razão do corte de investimentos da estatal.

“A Transpetro vem se posicionando para ser uma empresa cada vez mais enxuta em termos de competitividade para quando chegarem novos agentes, para cobrir esses investimentos que a Petrobras não vai fazer”, afirmou o executivo.

Postar um comentário

***