Tereza Cruvinel: Lula amplia vantagem


Resultado de imagem para charge corrida eleitoralDuas pesquisas eleitoral circularam ontem meio político, jornalístico e empresarial, e não trouxeram boas novas para a direita, Lula ampliou sua vantagem.
***
A primeira, a do instituto Ipespe, encomenda pela consultoria XP e divulgada pelo site Infomoney, foi realizada entre 9 e 11 de julho. 
Ela confirma as previsões de que as manobras jurídicas de domingo passado para evitar a soltura do ex-presidente Lula o favoreceram eleitoralmente. 
Ele alcança 30% de preferência, o que na série é seu patamar mais elevado, numa oscilação positiva de dois pontos porcentuais em relação à pesquisa da semana anterior. 
Depois vêm Jair Bolsonaro (PSL), que manteve seus 20%, Marina Silva (Rede) com 10%, e Geraldo Alckmin (PSDB) e Ciro Gomes (PDT) com 7% cada. 
Brancos, nulos e indecisos somam 15%. 
No cenário sem Lula, repete-se o já visto nesta pesquisa: o ex-prefeito Fernando Haddad salta de 2% para 12% quando é destacado como candidato de Lula.
Uma pesquisa feita para um grande banco circulou muito restritamente no meio político ontem. 
Nela se destaca a diferença entre o voto espontâneo em Lula (22) e Bolsonaro (10%) e os demais candidatos: Marina, 3%, Ciro e Alckmin, 2% cada, Álvaro Dias, 1%. 
O voto espontâneo é o melhor indicador da solidez eleitoral de um candidato. 
No cenário com Lula, ele alcança 36%, Bolsonaro 13%, Ciro e Marina, 5% cada um, Alckmin, 4%. Numa simulação sem Lula, Fernando Haddad obtém apenas 1%. 
Em outra simulação, o nome do ex-presidente é substituído por “candidato do Lula”, e este alcança 14%, contra 17% de Bolsonaro. 
Seguem-se Marina (12%), Ciro (10%), Alckmin (4%) e Dias (4%). Nada de novo no quadro, para os partidos que estão leiloando o apoio em função das chances de vitória.
Tereza Cruvinel
***

Postar um comentário