Pular para o conteúdo principal

Conversa Afiada: foi Moro quem vazou para o Jornal Nacional ferrar o Bolsonaro?




Os três - Moro, Globo e Bolsonaro - estão baleados, quem morre primeiro?
O jornal nacional disparou 24 minutos de metralhadora AK-47 no peito do Bolsonaro.
O jn teve acesso a devastadores documentos do COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), subordinado desde 2/I/2019 ao Ministério da Justiça do Ministro Sergio Moro.
(Assista aqui à reportagem do COAF).
Segundo o COAF do jornal nacional, Flávio Bolsonaro, filho do presidente da República, recebeu em sua conta bancária 48 depósitos EM DINHEIRO (EM DINHEIRO), sempre no valor de R$ 2 mil, numa agência que fica dentro da Assembleia Legislativa do Rio.
(Ele se elegeu senador em 2018.)
No total, segundo o documento do COAF de Moro, R$ 96 mil foram depositados em cinco dias.
A reportagem indesmentível do jn imediatamente instalou-se no PiG: no Globo, é claro, na Fel-lha e no Estadão (que, por sinal, tem também uma outra denúncia contra o senador Bolsonaro, oriunda do mesmo COAF do Moro), como demonstra essa ilustração:
Trata-se de uma declaração formal de guerra.
A Globo quer derrubar o Bolsonaro.
Ela não faria isso em nome de um princípio que jamais respeitou, a liberdade de expressão múltipla.
Como disse seu fundador, o Dr Roberto, ao Boni:
- Isso aqui é uma usina de poder, não é um circo.
Bolsonaro já disse que pretende destruir a Globo em seus alicerces: com o fim do Bônus por Volume e a a revisão da publicidade oficial.
Ele não precisou da Globo para se eleger.
A Globo não tem alternativa.
Se correr, o novo mundo da internet pega ela: o Google vai googlar a Globo.
Se ficar, os bolsonários matam ela de fome.
Porém, nessa batalha tem um outro agente de poder: o Moro!
Moro tem posse e porte de arma!
Moro é um vazador contumaz, confesso e disso se vangloria.
Vazar documentos sigilosos foi a arma que ele e a Globo usaram para destruir o PT, prender o Lula, desmoralizar a Política, derrubar a Dilma, uma presidenta honesta, e fechar a indústria nacional com o desemprego de um milhão de trabalhadores honestos.
No dia seguinte à posse, Bolsonaro realizou o maior desejo do Moro: tirou o COAF do Ministério do Primata do tal neolibelismo e entregou ao Moro.
Quem vaza para o jn os documentos do COAF que atiram no peito do Bolsonaro?
O primeiro suspeito é o Moro!