Pular para o conteúdo principal

No dos outros é refresco



Observem que interessante. O Ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, durante o período eleitoral passado proibiu a Folha de S. Paulo de entrevistar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva – e mais: promulgou um ato de censura prévia dirigido a todo e qualquer órgão de comunicação em território brasileiro, ao publicar uma decisão com o seguinte teor: “Determino, ainda, caso qualquer entrevista ou declaração já tenha sido realizada por parte do aludido requerido, a proibição da divulgação do seu conteúdo por qualquer forma, sob pena da configuração de crime de desobediência”. (https://bit.ly/2xKX1U2

Naquela época, os editores do site “O Antagonista” nem sequer disfarçaram o gozo com a censura. Numa oportunidade, publicaram que “Fux salvou a Folha de S. Paulo” – eis o texto literal: “Luiz Fux salvou a Folha de S. Paulo, impedindo que, às vésperas da disputa presidencial, suas páginas se transformassem em palanque para o chefe da organização criminosa. Em vez de homenagear o ministro, o jornal acusou-o de ser um censor.”. (https://bit.ly/2ImENyV

Hoje, o site “O Antagonista” é alvo do mesmo tipo de medida: num inquérito ilegal (no que instaurado de ofício, sem provocação de parte do Ministério Público), o Ministro Alexandre de Moraes age como todo-soberano: distribui ordens e aplica multas a seu bel prazer, dirigidas contra quem ele quer, sem qualquer possibilidade de controle efetivo, inclusive determinando o bloqueio de acesso a redes sociais. E, nesse caso, impôs a exclusão de uma reportagem baseada em informações verídicas. 

Agora, os editores d”O Antagonista” se queixam publicamente por estarem sob censura. Querem usufruir do pleno direito de liberdade de imprensa – o mesmo que não reconheciam à Folha de S. Paulo, quando esta queria entrevistar o ex-presidente Lula. 

Parafraseando a figura do “tio reaça do churrasco de domingo”, tipo que esse site fez questão de ver eleito presidente da República: bem feito!

publicado originalmente no Facebook do advogado Márcio Augusto Paixão
Vida que segue

Comentários