Conteúdo de Qualidade Superior

Moro ignora depoimento que inocenta Lula e aceita denúncia espetaculosa

O site oficial do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva publicou texto na noite desta terça-feira (20), onde manifesta indignação em relação à atuação do juiz Sergio Moro, ao aceitar denúncia do Ministério Público Federal (MPF) sem consistência jurídica.
A denúncia usa trechos de delações que não foram aceitas, e foi bastante criticado por juristas pela falta de provas e pela espetacularização do processo. Além de incluir em sua argumentação delação rejeitada pela Justiça, promotores também decidiram ignorar depoimento que inocenta Lula.
Veja abaixo na íntegra o texto publicado no site Lula.com.br:
"Ao aceitar a denúncia inepta da Força Tarefa da Lava Jato contra o ex-presidente Lula, o juiz Sergio Moro confirmou sua parcialidade em relação a Lula, que já foi denunciada ao Supremo Tribunal Federal e à Corte Internacional de Direitos Humanos da ONU. Moro simplesmente deu prosseguimento ao espetáculo de perseguição política iniciado pelos procuradores semana passada.
O mundo jurídico brasileiro sabe que a denúncia da Força Tarefa tem caráter eminentemente político, sendo o resultado de uma série de arbitrariedades e violações de direitos – como a condução ilegal de Lula para prestar depoimento, a violação e divulgação de telefonemas do ex-presidente e até de seus advogados, a invasão de sua casa, das casas de seus filhos e de diretores do Instituto Lula.



Após dois anos de investigações, envolvendo 300 agentes do Ministério Público, da Polícia Federal e da Receita Federal, nada foi encontrado para relacionar Lula aos desvios na Petrobrás. Nenhuma conta secreta, no Brasil ou no exterior; nenhuma empresa de fachada; nenhum pagamento ilegal, direto ou indireto.

Tudo o que restou à Força Tarefa foram hipóteses e "convicções" em torno de um imóvel que não é e nunca foi de Lula, além do custeio da armazenagem do acervo de documentos reunidos em seu período de governo. Sobre essa base inconsistente foi apresentada uma denúncia inverossímil e insustentável no Direito Penal, acolhida por um julgador notoriamente faccioso em relação a Lula.
O povo brasileiro e a comunidade internacional sabem que Lula é vítima de perseguição, de uma verdadeira caçada judicial, largamente apoiada pela grande mídia brasileira, com objetivos políticos indisfarçáveis. Uma perseguição que não poupa sequer dona Marisa Letícia.
O povo brasileiro e a comunidade internacional sabem que estamos diante de um processo de cartas marcadas, com o claro objetivo de excluir da vida política o maior líder popular e o melhor presidente da História do Brasil".
Campanha internacional
A Confederação Sindical Internacional (ITUC/CSI), que representa 180 milhões de trabalhadores sindicalizados de 162 países, lançou nesta terça-feira (20) a campanha internacional "Stand with Lula" ("Estamos com Lula"). Segundo a secretária-geral da ITUC/CSI, o objetivo é defender o ex-presidente de abusos judiciais no Brasil e denunciar os "poderosos interesses" que tentam impedir sua livre atuação política.  A campanha está sendo divulgada em Nova Iorque, simultaneamente à abertura da Assembleia Geral da ONU. Presentes no ato, alguns dos mais expressivos dirigentes sindicais dos Estados Unidos, advogados, juristas e defensores dos direitos humanos com atuação internacional, com participação do ex-presidente Lula através de videoconferência. Saiba mais e veja vídeo na íntegra aqui.