Zé Dirceu: Situação nacional requer solução urgente

O momento exige uma solução global e rápida para a sustentação política do governo no Congresso Nacional, garantia necessária a estabilização da economia e a abertura de perspectivas a novos investimentos. É fundamental e urgente a aprovação, no Congresso, do pacote econômico, após as necessárias negociações e acordos que atendam a demanda das centrais sindicais e, ao mesmo tempo, preservem o superávit de 1,2% do PIB.
Esta equação pode, sim, ser encontrada e resolvida, a exemplo do ocorrido na correção da tabela do Imposto de Renda das pessoas físicas, quando foi preservada a renda dos que ganham menos com a correção de 6,5%.
As dificuldades que se apresentam no cenário poderão ser superadas. O Real desvalorizado aponta para um superávit na balança comercial e um déficit menor nas contas externas cobertas pelos Investimento Estrangeiro Direto (IED). A arrecadação de fevereiro melhorou; avançam as negociações para o financiamento pelos bancos da Sete Brasil, maior parceira da Petrobras; o Brasil e a Petrobras mantiveram suas notas de agências de risco; e o país permaneceu no grau de investimento.
Foram as bases sociais que apoiaram e sustentaram governos do PT
Como é preciso manter os investimentos na infraestrutura e no pré-sal, são importantes a continuidade das concessões, a reorganização do plano de investimentos da Petrobras e a renegociação e alongamento de sua dívida, inclusive com a venda de ativos. Paralelamente, os programas sociais precisam ser mantidos, entre eles o Minha Casa Minha Vida, para sustentar o emprego (que tende a aumentar), e a renda, para que o mercado interno atenue a queda do crescimento e evite uma recessão.
A questão política precede à econômica e abre caminho para uma melhora geral do ambiente econômico. A sustentabilidade política não se esgota no Parlamento, na melhoria das relações com o Congresso Nacional e no equacionamento da aliança com o PMDB.
A sustentabilidade política depende, também, de uma ampla negociação com os sindicatos e movimentos sociais, com o empresariado e suas lideranças, para se encontrar um programa mínimo que evite a recessão e crie as condições para a retomada do crescimento, com distribuição de renda. Afinal, foram as bases sociais que apoiaram e sustentaram o governo do PT nos últimos 12 anos.



Newsletter

As + populares da semana

+Amigoogles