Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro 9, 2012

Navarin de Cordeiro

Ingredientes
1 paleta de cordeiro com osso +/- 1,400 kg1 colher (sopa) de tomilho debulhado250 ml de vinho branco secosal e pimenta-do-reino moída a gosto100 g de farinha de trigo80 ml de óleo2 dentes de alho com casca amassado grosseiramente500 ml de água1 cenoura cortada em 4 partes (+/- 200 g)1 batata cortada em 6 partes no sentido da altura (+/- 200 g)1 nabo cortado em 6 partes no sentido da altura (+/- 200 g)1cebola cortada em 4 partes (+/- 150 g)1 tomate cortado em 4 partes (+/- 150 g)1 bouquet garni (1 folha de louro, 1 talo de salsa, 1 galho de tomilho enrolados num1 pedaço de alho-poró)
Como fazer
Retire o excesso de gordura de 1 paleta de cordeiro com osso +/- 1,400 kg. Corte a paleta em cubos de +/ 3 cm e reserve os ossos. Coloque os cubos em uma tigela e tempere com 1 colher (sopa) de tomilho debulhado, 250 ml de vinho branco seco, sal e pimenta-do-reino moída a gosto, misture e deixe marinando de um dia para o outro na geladeira. Retire a carne da geladeira e escorra bem da …

Crônica semanal do Verissimo

O prêmio de melhor slogan eleitoral até agora vai para um candidato a vereador em Nova Iguaçu: “Edilson que o povo gosta.” Não sei qual é o sentimento real do povo em relação ao Edilson, mas isto não importa. O que interessa é que o trocadilho é bem bolado e o Edilson tem senso de humor, o que talvez ajude a ser vereador em Nova Iguaçu.
O Barack Obama bem que gostaria de ter uma frase sintética como a do Edilson para enfatizar sua principal virtude eleitoral, a simpatia. O sorriso de boca apertada do Mitt Romney não se compara ao largo sorriso do magrão. Mas boa parte do povo que gostava de Obama, pelo seu sorriso e pelo que ele representava de novo e promissor, está decepcionada com ele. O desafio para Obama é fazer a simpatia render até as eleições, resistindo à desilusão crescente. Os republicanos estão repetindo a pergunta feita por Ronald Reagan ao eleitorado americano para derrotar os democratas e se eleger, anos atrás: está melhor hoje do que estava há quatro anos? Com recordes d…

Quem ama

Quem ama sente ciúmes (muito ou pouco, não importa), mas sente sim. Quem deixou de amar já não se importa e deixa o outro totalmente à vontade, para que ele próprio possa estar também assim. 

Quem ama, vez por outra dá uma patrulhada no território e delimita as suas fronteiras. Quem deixou de amar já não fiscaliza, é frio, controlado e jamais perde as estribeiras. 
Quem ama sempre acha tempo e encontra um jeito para estar com seu amor. Quem deixou de amar vai postergando sem pressa, deixando que o vento sopre a seu favor. 
Quem ama faz perguntas pessoais e usa muito o pronome "nós". Quem deixou de amar conversa banalidades e esquece o significado do advérbio "a sós". 
Quem ama quer saber da vida do outro com detalhes e transparência. Quem deixou de amar se esquiva e não cobra do outro mais nada, nem ao menos coerência. 
Quem ama é pródigo em e-mails, telefonemas e com muito carinho dá um jeitinho de marcar presença. Quem deixou de amar é pródigo em desculpas e pretextos…

Tomando uma fresca

Um Jorna-lista do Pig  tomando uma fresca na janela da redação

Solidários com José Dirceu

Devotos de São Tomé x Devotos de São Judas Tadeu

Os devotos de São Tomé, que só acreditam vendo, começam a perder as apostas feitas com os devotos de São Judas Tadeu, o patrocinador das causas impossíveis.
Pois é, o santo que dá um jeitinho nas dificuldades começa a mostrar seu poder de milagreiro até na esburacada estrada da política. Vejam. A justiça da Suíça autorizou a devolução aos cofres do Tesouro Nacional de US$ 6,8 milhões que estavam na conta do ex-juiz Nicolau dos Santos Neto. Há poucos dias, o Grupo do ex-senador Luiz Estevão concordou em devolver à União R$ 468 milhões, que teriam sido desviados de verba pública para a construção do Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo. O Supremo Tribunal Federal condena à prisão um ex-presidente da Câmara dos Deputados, a segunda autoridade na linha de sucessão da presidência da República. Pune também dirigentes de bancos por gestão fraudulenta. E continua a julgar o caso de “maior desvio de dinheiro público flagrado no Brasil”, dando sinais de que os culpados no processo que reúne 3…

Tua voz

Tua voz é como o canto dos pássaros. Em um canto, em qualquer canto. Que canta ao som da melodia. Que fala em versos e  prosa, e canta a poesia. Um canto suave e leve que me leva na fantasia. Me faz viajar nos sonhos acompanhada da melodia. Tua voz é a a voz dos pássaros na mais perfeita sintonia. Voz suave e quente, que queima a melancolia.  Me leva a um mundo mágico de canto e encanto nas mais pura harmonia. Tua voz...
Leônia Teixeira

Momento raro de lucidez

Quando digo que loucos são gênios disfarçados, não estou em crise, e sim, em um momento raro de lucidez !" Leônia Teixeira

Artigo semanal de Marcos Coimbra

Com sua proverbial dificuldade de compreender os sentimentos do cidadão comum, os analistas da “grande imprensa” imaginaram um desfecho para as eleições deste ano que a realidade está desmentindo. A hipótese central com que trabalhavam era que, especialmente nas principais capitais, o julgamento do “mensalão” desgastaria o PT e os partidos da base do governo. Inversamente, que beneficiaria os candidatos da oposição. O palco por excelência de confirmação da tese seria São Paulo. Lá, achavam que o “primeiro ato” da sucessão presidencial de 2014 iria ocorrer e que o resultado seria desfavorável aos petistas. Combalido pelo “mensalão”, Lula veria seu indicado perder para José Serra, natural depositário dos sentimentos de rejeição ao PT aguçados pelo julgamento. E esse seria apenas o caso mais fulgurante de um conjunto de derrotas do “lulopetismo”. Nas grandes cidades, a oposição sairia fortalecida. Mas é exatamente em São Paulo que estamos constatando que a realidade é diferente. Lá, nada diss…

O julgamento do chamado mensalão vem deixando histérica a minoria das minorias

[...] os aficionados pelo debate político. Mas os brasileiros, em sua maioria, seguem suas vidas, com pouca curiosidade em relação ao julgamento, por mais que venha sendo espetacularizado pela imprensa - e que blogs políticos ajudem a espetacularizar, porque repercutem o julgamento de forma apaixonada. Mas a histeria atual - e as paixões da velha mídia e dos seus antagonistas no campo político -   sustenta-se, como é próprio do fenômeno da histeria, sobre percepções exacerbadas da realidade. A começar pelo que levou à pressão pela realização do julgamento agora. O temor de que alguns crimes prescrevessem e a proximidade das eleições municipais, principalmente, em Sâo Paulo, fez com que a mídia impusesse ao Supremo Tribunal Federal a pauta do mensalão. Encontrou em Ayres Britto, um aliado serviu, que aceitou paralisar cerca de 900 processos para, não julgar a AP 470 entre outros, mas julgá-la com exclusividade. Um outro motivo para a pressão foi o medo (fantasmático) que a imprensa sustentav…

Protestante

[...] e despeitada