Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro 26, 2011

A Vitória Da Vida

"Pobre de ti se pensas ser vencido! Tua derrota é caso decidido. Queres vencer, mas como em ti não crês, Tua descrença esmaga-te de vez. Se imaginas perder, perdido estás. Quem não confia em si, marcha para trás; A força que te impele para a frente É a decisão firmada em tua mente. Muita empresa esboroa-se em fracasso Inda antes do primeiro passo; Muito covarde tem capitulado Antes de haver a luta começado; Pensa em pequeno, e irão depressa ao chão. O querer é o poder arquipotente, É a decisão firmada em tua mente. Fraco é aquele que fraco se imagina, Olha ao alto o que ao alto se destina A confiança em si mesmo é a trajetória Que leva aos altos cimos da vitória. Nem sempre o que mais corre a meta alcança, Nem mais longe o mais forte o disco lança, Mas o que, certo em si, vai firme e em frente, Com a decisão firmada em sua mente..."
Autor: ( Desconhecido )

A presidenta Dilma Rousseff fez uma avaliação da participação do Brasil na Assembleia Geral ONU

Ela afirmou que foi uma honra discursar na abertura da Assembleia e destacou a necessidade de se buscar uma saída para crise econômica internacional:"Eu estava representando ali o Brasil, um país que vem tendo cada vez mais destaque no cenário internacional. A força do nosso país e as opiniões do nosso povo estão sendo cada vez mais respeitadas lá fora. Falei da crise econômica internacional em meu discurso, Luciano [Seixas, apresentador], porque o mundo vive um momento muito delicado. É uma crise financeira que nasceu nos países mais ricos e está deixando milhões e milhões de desempregados em todo o mundo, em especial, nos países mais ricos. A posição defendida pelo Brasil na ONU é de que a saída para a crise econômica mundial deve ser discutida por todos os países juntos".A Presidenta acrescentou que os países desenvolvidos têm maior responsabilidade em relação à crise, mas que todos os outros países sofrem as consequências de alguma forma, ainda que indireta. "Entã…

Mercado futuro

O economista Delfim Neto, propõe que o governo taxe o "mercado futuro.

A velhinha Briguilina propõe que o governo faça como qualquer banca de jogo faz, exija que o jogador deposite o dinheiro. Nenhum casino aceita jogo fiado.

Quem você acha que faz a melhor proposta, Delfim Neto ou a velhinha Briguilina?

Eu tou com a velhinha e não abro.

Dilma Rousseff fez história na ONU

O pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff na 66ª assembléia geral das Nações Unidas adquiriu sentido histórico. Não só pelo importantíssimo fato de, pela primeira vez, uma mulher abrir o encontro do mais alto foro internacional, mas, especialmente, pelo seu conteúdo denso, afirmativo e corajoso.O Brasil deixou a periferia do mundo e ocupou o lugar que lhe estava destinado há muitos anos e, por incapacidade de alguns governos, não havia sido ocupado. Esse movimento necessário, embora já tardio, foi iniciado pela política externa visionária do presidente Lula, ao colocar nossa competente diplomacia, através dos melhores esforços do Itamaraty, a serviço do estreitamento de relações mais fluídas e pragmáticas com os demais países, onde o respeito à autodeterminação dos povos e a declarada disposição de permanentes parcerias deram o tom de oito anos de avanços consideráveis em nossa política exterior.Agora a presidenta Dilma faz história, ao reafirmar nossa política externa independen…

Uma pimenta refrescante

O governo federal parece decidido a impedir o reajuste dos vencimentos do Judiciário. É uma providência simpática, na opinião pública. Pois emite sinal de austeridade.

Mas significa, além e acima disso, intromissão indevida do Executivo nos assuntos de outro poder.

O leitor ou leitora poderá objetar que a época é de contenção, que o governo precisa cuidar das contas, que os juízes e servidores da Justiça podem esperar.

A objeção terá sua dose de verdade.

Mas também é verdade que menos de um ano atrás, mais precisamente em dezembro passado, deputados e senadores aprovaram megarreajustes para eles próprios, para os ministros e para a presidente da República.

Àquela altura já eleita.

Os ministros receberam 150%. A presidente, 130%. E nenhum deles chiou.

O argumento era objetivo. Equiparar os vencimentos do primeiro escalão do Executivo e do Legislativo aos dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

E a coisa passou fácil, no vapt-vupt. Quando o país se deu conta, Inês era morta.

O motivo ti…

Coluna econômica

EUA: Descompassos entre política e economia
No final da semana passada, republicanos iniciaram sua ofensiva contra o presidente Brack Obama. Mote principal: ele teria destruído a economia norte-americana.Obama, de fato, errou no enfrentamento da crise. Só que a crise foi moldada nos governos Clinton e, principalmente, Bush Jr. e seu mal maior foi não ter enfrentado a hegemonia financeira que comandou ambos os governos.***Esse o problema maior da sincronização entre política e economia. Na economia, os efeitos de maus (e bons) passos não ocorrem imediatamente. O caso norte-americano é exemplar.Durante anos e anos, governantes surfaram nas ondas de um cenário econômico favorável, sem grandeza para enfrentar os problemas que surgiam na economia.Saem populares e a bomba sempre acaba explodindo em governos seguintes - que pagam o preço de medidas impopulares e de um cenário econômico desfavorável. Mesmo que tomem medidas eficientes para conter a crise, os resultados só aparecerão anos depoi…